Junte-se a mais de 4.200 pessoas

Junte-se a mais de 4.200 pessoas

Se inscreva e receba conteúdos exclusivos e com prioridade sobre engenharia

Não enviamos spam. Seu e-mail está 100% seguro!

O que é um Cronograma de Obra

O que é um Cronograma de Obra

Cronograma de Obra você sabe o que é? Ou cronograma físico e financeiro, você sabe para que serve? Não? Fique tranquilo, neste post vou explicar detalhadamente o que é, para que serve e como você pode elabora-lo.

 

O que é um cronograma

O cronograma nada mais é do que uma representação gráfica (ou não) do tempo investido em uma determinada atividade, tarefa ou projeto. O cronograma é fundamental para você controlar e visualizar o progresso do projeto, acompanhando o período de cada tarefa. Na engenharia a utilização do cronograma é muito comum no setor de planejamento e gestão de projetos.

Para que serve um cronograma

O principal objetivo de um cronograma é garantir que um projeto seja bem-sucedido, ou seja que comece e termine dentro do prazo determinado. Mas para que isso ocorra, você deve saber como elaborar um cronograma corretamente. Abaixo listei as principais funções do cronograma, para que você possa cumprir com o objetivo principal dele.

  • Criação de um sequenciamento cronológico de sua obra ou projeto;
  • Prever as atividades e tarefas a serem executadas de forma detalhada;
  • Previsão física e financeira de sua obra ou projeto;
  • Acompanhamento das atividades e verificação se estão adiantas, atrasadas ou conforme o planejado;

Ou seja, o cronograma é a base de um bom planejamento, é ele que vai mostrar se você está cumprindo o que foi planejado, se está atrasado ou adiantado e até se é viável a execução de uma atividade em determinado período.

Como fazer um cronograma em Excel

Um cronograma pode ser feito de diversas formas, as mais comuns são elaboradas através do Excel (cronogramas mais básicos) e do MS Project (cronogramas mais detalhados).

Como é feito um cronograma no Excel? Simples, basta você utilizar as principais atividades de cada etapa de sua obra e mensurar um prazo para conclusão dela, vou usar como exemplo a construção de uma edificação, veja como fica:

cronograma-fisico-de-barra
Modelo de Cronograma físico

No modelo acima, está descrito a etapa da atividade, o prazo para execução de cada uma e a ordem cronológica de cada uma delas.

Claro que existe diversas formas de ser feito um cronograma e essa é uma forma simples, porém é muito utilizada em orçamentos de obras (principalmente obras públicas) onde você utiliza uma planilha de quantidades  e preços e elabora um cronograma físico-financeiro com base nas etapas da planilha.

O mesmo cronograma pode ser representado de forma física como mostrado na figura acima, como também de forma financeira onde você demonstra o desembolso financeiro em relação ao mês de cada etapa de sua obra. Veja como fica o mesmo modelo acima de forma financeira:

Cronograma-financeiro-excel
Modelo de Cronograma financeiro

Veja que nesse modelo estamos analisando os valores com relação ao tempo, ou seja o seu desembolso com relação a cada mês, verificando inclusive o desembolso acumulado da obra, dessa forma podemos acompanhar se estamos gastando mais do que o planejado no mês.

Em quais situações devo elaborar um cronograma?

Sempre ocorrerá duas ocasiões para quem elabora um cronograma, ou você tem que definir o prazo da obra ou seu cliente já tem um prazo pré-definido e você tem que viabilizar a execução da obra neste período.

Para as duas ocasiões a resposta é a mesma. Tem que ser analisado a produtividade de cada serviço para se chegar ao um prazo final estimado com uma pequena diferença entre as duas situações.

Quando é você que define o prazo final da obra, você consegue otimizar os custos com relação ao tempo, já quando você já tem um prazo estipulado você tem que se preocupar apenas em conseguir otimizar a produtividade em relação ao tempo.

Exemplo prático para analise:

Vou dar um exemplo para ficar mais claro, suponha que você tenha que executar 2 (duas) edificações conforme o exemplo dos cronogramas anteriores.

Quando você é o responsável por definir o prazo final, você consegue otimizar equipamentos, equipes e máquinas para diminuir o seu custo, porém nem sempre será a forma mais rápida de execução.

Por exemplo ou poderia utilizar o mesmo equipamento da fundação para as 2 edificações, economizaria nas mobilizações e desmobilizações do equipamento, porem demoraria o dobro do prazo em execução.

Vamos supor que altere o prazo final de sua obra de 6 (seis) meses para 10 (dez) meses de execução e passou a custar R$1.000.000,00 (um milhão de reais).

Tecnicamente falando é um excelente cronograma, podemos dizer que cada edificação custou R$ 500.000,00 (Quinhentos mil reais) e com uma produção de praticamente 5 meses para cada, ou seja economizou em produtividade e custo.

Mas e se o cliente falasse que não atende, e que o prazo para inauguração do empreendimento dele é daqui a 7 (sete) meses e a obra tem que ser feita no período de 6 (seis) meses?

Então as obras teriam que ser feitas em paralelo para manter o prazo, porém dobrando o custo para R$ 1.240.000,00 (Um milhão duzentos e quarenta mil reais). Ou seja, você teve que dobrar o efetivo, assim dobrando o custo para diminuir o prazo.

Pode não ser a melhor opção analisando em um contexto geral em benefícios de prazo x custo, mas no final de contas o que realmente importa é atender o seu cliente resolvendo o seu principal problema, que no caso era o prazo e não o custo.

Conclusão

Espero que tenham gostado e que tenham tido uma visão melhor do que é um cronograma e para o que ele serve, é lógico que o assunto poderia ser muito mais aprofundado no sentido de acompanhamento, índices de produtividades, curva S e etc, mas para não ficar muito extenso vou deixar estes tópicos para outros posts.

Faça parte de nossa comunidade

Faça parte de nossa comunidade

Receba gratuitamente nosso conteúdo com exclusividade!

Não enviamos spam. Seu e-mail está 100% seguro!

Sobre o Autor

Eduardo Freitas
Eduardo Freitas

Técnico de Planejamento de Obras, com mais de 10 anos de experiência na área de engenharia de custos, tenho intuito de compartilhar conhecimentos de forma simples enquanto mantenho meu vício em café.

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *